Semeando Esperança


11/04/2013 – Protestos e Reações – Encerrando o ciclo vicioso
11/04/2013, 8:41 pm
Filed under: Semanal

Recentemente, temos vistos muitos protestos vinculados ao pastor Marco Feliciano e a sua nomeação ao cargo na Comissão de Direitos Humanos. Acredito que os protestos se tratam apenas do exercício da liberdade de expressão, contanto que feitos sem ferir os direitos alheios (sejam passeatas, faixas de protestos, artigos publicados, etc) e representando a discordância de determinado grupo com o fato de este político assumir o cargo, com base no seu histórico de declarações e capacidade política.

O que acontece é que muitas das manifestações são feitas pela motivação errada e da forma errada – o fato de ele ser evangélico não deve ser motivo para pedir a retirada dele do cargo; os protestos que são feitos de forma ofensiva (invadir o perfil das redes sociais com ofensas, invadir igrejas para dar “beijos gay”), ilegitimam o protesto e não focam no objetivo de toda a comoção: a renúncia do cargo. Defender ou atacar qualquer pessoa apenas pelo fato de ela ser evangélica é absurdo. Um paralelo exagerado seria se o impeachment do Collor fosse pedido pelo fato de ele ser alagoano e não pela improbidade administrativa da sua gestão.

Considerando estas manifestações ofensivas em que igrejas são invadidas, objetos são atirados contra a pessoa ou nos vídeos que são criados com suposto teor humorístico ridicularizando pastores, igrejas e os cristãos – você, um bom cristão, pode dizer: “Com estes protestos, eles estão nos desrespeitando, acusando e ofendendo. Eles estão ofendendo não apenas a igreja, mas ofendendo também a Jesus.” Isso provavelmente é verdade, mas então como reagir? Pagando com a mesma moeda? Pois é isto que temos visto acontecer nos nossos dias, reagindo com a mesma intensidade e ferocidade que os não-cristãos.

Antes de mais nada, quero deixar claro que cabe a nós, cristãos, interromper o ciclo de ataques e ofensas. De quem você acha que Deus cobra uma atitude correta? É só olhar, de novo, o exemplo de Cristo – as suas cobranças e críticas mais duras foram justamente para os “irmãos da fé” (Mateus 12:34, Lucas 19:46, Lucas 18:9-14, Marcos 8:15, Mateus 23, etc). Então você pode perguntar: “Então a gente tem que ouvir todas as acusações, receber ofensas, sofrer calúnias e ataques e não falar nem fazer nada?” Se reagirmos da mesma forma que os que nos atacam, apenas iremos perpetuar esse ciclo, fazendo com que “um abismo chame outro abismo” (Salmo 42:7). Se reagirmos da mesma forma dos que nos atacam, nós também estamos sendo “anti-cristos”.

Justamente por isso, quero focar esta reflexão na questão do comportamento do cristão frente a estas situações. Cristo chocou o mundo por seu comportamento não ortodoxo, revolucionário e dissidente da linha de pensamento da época. Alguns afirmariam até que seu comportamento era subversivo. No meio de um povo que fora forjado entre guerras, violência e escravidão, Ele optou por viver a vida respeitando, dando espaço às mulheres, acolhendo, pregando liberdade e alimentando corpo e alma. Em suma, Jesus agia e reagia de forma diferente e inesperada.

Cristo sempre respondeu de forma sábia e educada quando enfrentado/acusado (Lucas 11:15, Lucas 20:2, Mateus 22:21, etc). Quando foi apresentado ao Sinédrio, as acusações era infundadas e os testemunhos eram falsos (Mateus 26:59-60), pois em nenhum momento as suas atitudes deram margem para gerar acusações. Mesmo com os ataques infundados, Ele não defendeu de forma revoltada, dizendo que era ungido, o Messias! Ele se calou perante seus acusadores (Mateus 26:63). Jesus nunca precisou cobrar respeito, pois respeitava da mesma forma pescadores iletrados e doutores da lei. Em nenhum momento atacou pessoas por seus erros, seja um jovem que não conseguia abrir mão de seus bens (Marcos 10:21), uma mulher que desrespeitou a lei para tocá-lo e ser curada (Lucas 8:43) ou uma mulher pega no ato do adultério (João 8:10). Quando confrontado com os dogmas, ele opôs religião com compaixão.

Pensando assim, as nossas reações às críticas e acusações tem sido ‘inesperadas’ pelo padrão do mundo? Temos vivido de acordo com o exemplo de Cristo sobre ser ofendido, perseguido, acusado e desrespeitado? Proponho um teste rápido para avaliar o grau de “cristandade” das nossas reações.

—————————————————

1) Você acabou de ver um post em um site com um vídeo/artigo/notícia que menciona apoio ao casamento gay. Qual a sua reação?

A) Grita “Abominação!” e posta uma foto no Facebook dizendo que o Brasil vive em uma ditadura gay.
B) Cola nos comentários do post diversos versículos de Levítico e escreve no final que se não houver arrependimento, eles serão apedrejados pelos demônios com saraivada de fogo do inferno.
C) Termina de ler/ver, guarda seus comentários que não edificam e procura outro artigo. Aproveita para colocar “pessoas que são perseguidas pela opção sexual” na lista de oração, pedindo a Deus que os guarde da violência e dê sabedoria.

2) Um dos seus colegas no trabalho / faculdade é homossexual. Como você o trata?

A) Sendo agressivo, ofendendo sempre que possível para ver se ele vira homem de uma vez.
B) Afastando-se completamente e cortando todas as possibilidade de contato. Quando inevitável, não conversar diretamente e ficar orando em Espírito.
C) Tratá-lo normalmente, como qualquer outro colega de trabalho. Exponha suas opiniões sem ofendê-lo e ore por ele.

3) Alguém publica um texto criticando algum pastor ou líder de igreja. O que você faz?

A) Sem averiguar o conteúdo do texto e por acreditar que aceitar Jesus significa ter imunidade de todos os ataques, você diz que o autor está em grande risco e que irá pagar o preço por ter “tocado no ungido do Senhor”.
B) Termina de ler o texto e na hora já toma as dores, chame o autor de filho de Satã, diga que o ‘cajado vai descer’ e cobra o respeito devido ao pastor / líder.
C) Leia o texto, veja se as informações e fontes são verdadeiras. Analise tudo, se tiver algo de bom, guarde (I Tessalonicenses 5:21). Caso contrário, deixe um comentário dizendo que o conteúdo está errado e coloque as informações corretas, com suas devidas fontes.

4) No seu trabalho, alguns colegas te perseguem e ridicularizam por você ser evangélico. Qual a sua reação?

A) Meus colegas nem sabem que eu sou evangélico, nunca falei e eles não perceberam. Eu até ia falar, mas preferi ficar olhando o decote da secretária.
B) Diga que você é a “menina dos olhos de Deus” e que eles irão ver a ira de Deus. E nada de perdão, pois isto é apenas para os irmãos, está na Bíblia! (Mateus 18:21)
C) Mesmo se ficar triste ou irritado, trate-os com o mesmo respeito que trata os outros colegas, ajude-os quando precisam e ore por eles. Exponha seus sentimento a Deus em oração e agradeça por ser perseguido pelo nome dEle (Mateus 5:10-12), pois isto é prova de que está no caminho certo.

5) Você recebe um convite de ir visitar uma instituição de caridade que é apoiada por outra religião. O que você responde?

A) Diz que não vai porque não se pode misturar santo com profano, que Deus não se agrada desta outra religião, mesmo que eles estejam fazendo algo bom.
B) Além de não ir, diz pra pessoa que te fez o convite que ela deveria mudar de religião, ir à sua igreja e abandonar o vínculo com estas coisas do diabo.
C) Aceita o convite com alegria, ajuda como pode e fale de Jesus a todos que aceitarem ouvir. Depois conversa com seu pastor para ver se é possível investir menos em programas de TV e mais em trabalhos sociais.

6) Alguns colegas do trabalho te convidam para um happy hour em um bar perto da empresa. Qual sua resposta?

A) Não vai, diz que sua religião não permite o consumo de álcool e que este tipo de ambiente não é saudável
B) Não vai e faz questão de falar que a cerveja é a água do capeta, que quem bebe é filho dele. Depois dá um testemunho na igreja para falar do livramento que recebeu.
C) Se não atrapalhar seus compromissos, vai ao happy hour. Beba um refrigerante, coma algo e aproveite para falar sobre o trabalho, sobre si mesmo e também sobre sua igreja e sua fé quando tiver oportunidade.

7) Um carro te fecha no trânsito e quase causa um acidente. O que você faz?
A) Xingo, buzino e falo tudo que ele merece ouvir. Sou crente, mas não sou trouxa!
B) Acelero pra passar na frente e fecho ele de volta, como a Bíblia ensina: de graça recebo, de graça dou.
C) Fico irritado, mas consigo me controlar e sigo meu caminho. Peço a Deus para trabalhar em mim, ou para que eu não me irrite mais ou para que eu não precise mais do carro.

8) O caixa te deu troco a mais. O que você faz?

A) Aceita e fica quieto, a culpa foi da pessoa, você não tem nada a ver com isso.
B) Aceita e ainda faz uma oração, agradecendo a Deus pela benção recebida.
C) Devolve o troco sem cerimônia e segue seu caminho.
—————————————————

Claro que o teste é apenas uma forma bem humorada de dar exemplos, mas se a resposta não for algo parecido com as alternativas ‘C’ em todas as perguntas, de alguma forma falta Cristo nas nossas vidas. Infelizmente, temos visto muitos cristãos que defendem ‘A’ e ‘B’ por aí. Temos visto muito do homem e pouco de Cristo. Minha oração é que sejamos cristãos de verdade, não tentando forçar o mundo a mudar apenas com nossos argumentos e conhecimento, mas dando o exemplo, como Jesus o fez.

As transformações e mudanças que devem ser feitas não por força ou violência, mas pela ação do Espírito de Deus, como está escrito em Zacarias 4:6 e pela renovação do nosso entendimento (Romanos 12:2).

Ao invés de reclamar, amar.
Ao invés de criticar, ajudar.
Ao invés de discutir, orar.

Para ler:
Não toque no ungido do Senhor – Debate
O valor do silêncio


Leave a Comment so far
Leave a comment



Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s