Semeando Esperança


28/09/2012 – Honestidade e Cansaço
28/09/2012, 7:45 pm
Filed under: Semanal

Um tempo atrás, estava descendo por uma rua voltando para casa. Vi um copo plástico no chão do outro lado e resolvi atravessar a rua para pegá-lo e jogá-lo na caçamba que estava logo à frente. Quando atravessei a rua, bateu um vento e o copo entrou por uma rua perpendicular. Eu comecei a subir a rua para “perseguir” o copo, porém outro golpe de vento jogou o copo mais pra longe. Resolvi desistir de jogar o copo, mas quando virei as costas, eu pensei: “Se eu vim até aqui, porque não posso andar um pouco mais para fazer o que é certo?” Decidi então correr um pouco, peguei o copo e joguei na caçamba.

É um exemplo besta, mas muitas vezes nas nossas vidas temos atitudes desta forma – começamos fazendo algo correto, algo bom. Só que quando as coisas começam a ficar difíceis ou começam a fazer você desviar do seu caminho, olhamos para os lados e abandonamos a atitude correta. Esta postura aparece em diversos cenários: pegar um trecho da rua na contra-mão pra não dar a volta no quarteirão, usar o crachá de um amigo para entrar no prédio do trabalho ao invés de pegar um temporário na portaria, fazer o seguro com um outro endereço para pagar mais barato, comprar um CD ou DVD pirata, pegar material de escritório para uso pessoal. Destaquei apenas erros “pequenos”, que normalmente não vemos o mal nas atitudes, mas que começam a nos calejar para ver o que é certo e o que é errado. Em termos gerais, não há pessoas que do nada se tornam ladrões de banco – começam pegando as moedas na casa, as balas no bar da esquina ou as figurinhas do coleguinha na escola.

Asafe, no salmo 73, fala um pouco sobre a sensação que todos temos no nosso dia a dia, de ver as pessoas que fazem errado serem recompensados e o que faz certo, tido como um tonto. Chega a um ponto em que a gente decide abrir mão de fazer o certo, justificamos com diversos argumentos – “todo mundo faz”, “cansei de ser trouxa”, “mas isso não é errado, estou apenas fazendo o que é justo”, “que adianta fazer certo sendo que nunca funciona?”. Acabamos nos tornando pessoas com a fé enfraquecida, céticas e incapazes de manter uma firmeza na sua posição em relação ao que é certo e errado. Viramos pessoas cansadas de tentar e optamos por seguir a maré. Mas, o que a Bíblia nos diz a respeito disso?

Vemos escrito em Gálatas 6:9: “E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo colheremos o fruto das nossas ações, se não houvermos desfalecido. Então, enquanto temos tempo, façamos o bem a todos.” O que fica claro neste versículo é que Deus SABE que nós nos cansamos com as dificuldades e injustiças da vida, mas nos incentiva a não desistir da postura correta pois ela gerará frutos. Tanto Deus sabe disso que vemos Isaías dizendo que “os jovens se cansarão e se fatigarão, e os jovens certamente cairão” (Isaías 40:30).

A diferença entre a pessoa que opta por seguir a palavra de Deus é que ela tem o apoio divino nos momentos em que está em conflito sobre como agir. Como vemos escrito em Isaías 40:29, Deus “dá força ao cansado, e multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor.” Podemos também destacar outras referências sobre como o apoio de Deus é presente no momento de angústia e dúvidas:

– Forças renovadas: “Mas os que esperam no Senhor renovarão as suas forças e subirão com asas como águias; correrão e não se cansarão; caminharão e não se fatigarão.” (Isaías 40:31)

– Sustento e ajuda: “Não temas, porque eu sou contigo; (…) eu te esforço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça.” (Isaías 41:10)

– Conforto: “Porque eu, o Senhor, teu Deus, te tomo pela tua mão direita e te digo: não temas, que eu te ajudo.” (Isaías 41:13)

– Proximidade e cumplicidade: “Perto está o SENHOR de todos os que o invocam, de todos os que o invocam em verdade.” (Salmo 145:18)

Todavia, como já tenho exposto nas últimas reflexões, não se trata de uma posição unilateral. Como vimos lá no Salmo 73, o salmista teve que buscar a Deus (ir ao templo) para perceber que esta postura de “abandono”, de sentir-se vítima ou injustiçado estava errada. Deus estende a mão, mas nós também temos que estender a nossa para alcançá-lo. Paulo, na sua primeira carta aos Corintios diz que temos que ser “firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor.” (1 Coríntios 15:58). Isto quer dizer que o nosso trabalho vai render frutos, mas não podemos deixar de sermos firmes e constantes no nosso caminho de fazer o que está correto, obedecendo a Deus.

Lá em Provérbios 24:10, o autor nos diz: “Se te mostrares fraco no dia da angústia, é que a tua força é pequena.” Se não estivermos firmados na nossa convicção em Cristo, o cansaço que nos abate ao olharmos para o mundo irá minar a nossa força de ir adiante, “combatendo o bom combate e guardando a fé” (II Timóteo 4:7). Que possamos nos esmerar a buscar o caminho correto de Cristo em todas as coisas.


Leave a Comment so far
Leave a comment



Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s



%d bloggers like this: