Semeando Esperança


26/07/2012 – Preço da segunda chance
26/07/2012, 8:22 pm
Filed under: Semanal

Recentemente, por ter mudado de emprego, minha rotina de deslocamento também mudou. Troquei o trânsito das ruas pelo transporte sobre trilhos. Na volta pra casa, eu ando da estação de trem até minha casa. Num desses dias, quando estava subindo pela avenida, passei em um ponto e nele estava parado um ônibus vazio que para na rua da minha casa. Pensei em embarcar, mas optei por continuar caminhando, seguindo a pé. Após dois quarteirões, eu ouvi uma voz que me dizia que deveria ter pegado o ônibus. Praguejei um pouco, “vou ter que esperar o próximo ônibus e vai demorar”, pensei. Quando estava no quarteirão antes do ponto seguinte, o mesmo ônibus que estava parado vazio no ponto anterior, passou ao meu lado. Prontamente corri até o ponto e embarquei. O ônibus estava cheio, tive que ficar em pé, carregando a mochila. Na hora de descer, tive que passar pela multidão de pessoas e, como não sou Moisés, tive que ir me arrastando, esbarrando e pedindo desculpas até chegar à porta e finalmente descer. Durante o trajeto, a única coisa que eu pensava era: “se eu tivesse pegado o ônibus de primeira, já estaria no fundo do ônibus e sentado, não ia precisar passar por esse aperto.” Quando saí do ônibus, a mesma voz me disse: “Nem sempre você terá uma segunda chance. E, mesmo que tenha, há um preço a ser pago por ela.”

Na Bíblia, também temos exemplos de pessoas que tiveram que pagar o preço pela segunda chance. Podemos destacar Jonas (Jonas 1:3) que tentou fugir da primeira chance de cumprir a ordem de Deus e pregar para a cidade de Nínive. Teve que passar por um naufrágio, um período dentro de um peixe e pedir perdão para que recebesse a segunda chance. Há também o exemplo de Jacó (Genesis 33) que teve a chance de se reconciliar e pedir perdão ao seu irmão após ter enganado seu pai e roubado a benção. Ele teve que sair de casa, foi enganado pelo sogro, trabalhou como escravo e teve que preparar vários presentes para que pudesse ter uma segunda chance de contato com Esaú. Talvez o exemplo mais claro seja o do filho pródigo (Lucas 15:11-32). Tinha metade de todas as posses do seu pai e decidiu sair, gastar e caiu na vida. Perdeu tudo e se viu comendo lavagem de porco. Colocou o rabo entre as pernas, humilhou-se e pediu por uma segunda chance.

Todo mundo pode dizer que em algum momento da vida pisou na bola com alguém e teve que batalhar para reconquistar a confiança. Talvez você tenha cometido um erro para um cliente e teve que lutar para conquistar o cliente de volta. Até no fliperama do bar na esquina, a segunda chance tem um custo – uma nova ficha. O meu breve relato mostra também de forma simples o preço pago pela segunda chance, ou, se preferir, o preço por ter perdido a primeira. Enquanto na primeira chance o ônibus estava me esperando, na segunda eu tive que correr. Na primeira, poderia ir sentado, na segunda eu tive que ir em pé. Na primeira, eu ficaria ao lado da porta e sairia sem esforço, na segunda eu tive que me esgueirar por entre as pessoas, incomodando e incomodado para conseguir sair.

O interessante é que se eu tivesse pegado o ônibus de primeira, eu teria chegado no destino final no mesmo momento que cheguei pegando de segunda. Mas há uma lição que fica evidente neste momento: Na vida, mais importante que o destino, é o processo que passamos no caminho. De fato, está escrito que na vida teremos aflições (João 16:33), mas isto não quer dizer que temos que sempre optar pelo caminho mais difícil. Em muitas ocasiões, temos a chance de aproveitar uma oportunidade em primeira mão, mas optamos por deixar para depois e acabamos passando por aperto para conseguir algo que seria tranqüilo.

Arrisco a dizer que em grande maioria das vezes, não teremos uma segunda chance – até mesmo com os ônibus perdidos. Creio que todos já vimos ou até vivenciamos situações em que a chance perdida significou nunca mais ter uma oportunidade – talvez uma amizade ou relacionamento arruinado, uma porta de emprego fechada ou talvez a compra de um imóvel. Em Mateus 25:1-12, há o relato de mulheres que perderam a chance de serem resgatadas por terem perdido a oportunidade. A sensação de arrependimento e remorso pode ser tão grande que crie traumas e marcas irremediáveis na pessoa.

A mensagem que quero passar é que temos que nos esmerar para aproveitar as primeiras chances que recebemos, para evitarmos de assumir um custo que não era necessário. Por mais óbvio que isso possa parecer, acabamos pecando justamente nestes pontos. Mais importante que isso, temos que buscar sempre aproveitar as primeiras oportunidades, pois pode ser que elas sejam únicas, ou talvez as últimas.

 


Leave a Comment so far
Leave a comment



Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s



%d bloggers like this: