Semeando Esperança


23/11/2011 – Fugindo do foco
23/11/2011, 10:07 am
Filed under: Semanal

O objetivo do cristianismo é a unidade e não a uniformidade, porque Deus aprecia as nossas diferenças e entende que isso é essencial para a saúde da igreja e da sociedade. Aos poucos, os cristãos foram se separando em grupos de acordo com seus estilos de vida e interpretação de vida cristã. Aos poucos foram criadas diferentes denominações e, a partir deste ponto, o cristianismo começou a deixar de ser um estilo de vida para se tornar em religião, se tornando recluso a uma área cada vez mais diminuta da vida do homem.

Enquanto os fiéis prezavam pelo compromisso com a sua fé e, mesmo ao tomar posturas ou atitudes equivocadas, havia uma integridade na postura da pessoa. O “crente” era motivo de chacota por ser certinho, mas era de confiança porque sua vida era regida pelos valores e idéias cristãs. O problema agora está na questão dos “não praticantes” ou dos “cristãos light” que tem se tornado cada vez mais freqüentes na sociedade. São as pessoas que se dizem cristãs, mas seguem a Deus apenas de acordo com sua própria conveniência. Essa leniência e tolerância exagerada acaba abrindo brechas para que as pessoas criem uma espécie de “cristianismo egocêntrico”, cuja atuação e alcance dos ensinamentos de Cristo se sujeitam aos caprichos de pessoas sem compromisso.

Não se trata mais dos grandiosos conflitos entre católicos x protestantes ou luteranos x neopentecostais. Agora, dentro de nossas igrejas, temos visto o surgimento de pessoas com essa postura, pessoas que se apegam apenas a uma parte da mensagem de Cristo, criando uma divisão dentro do corpo. É algo mais profundo que acaba criando divisões em nível pessoal, mostrando que a estratégia do inimigo é justamente destruir a união do corpo.

Para que possamos identificar melhor, destaquei abaixo quatro “perfis” de pessoas que acabam se perdendo nos conceitos religiosos e acabam fugindo do foco da vida cristã:

A) Preguiçoso

Há uma passagem interessante em Joel 3:10. O profeta, falando ao povo, diz que para que eles consigam chegar onde desejam, eles devem “transformar o arado em espadas e as foices em lanças.” Fica claro que, mesmo com a intervenção de Deus, cabe ao povo agir para alcançar seus objetivos. Daniel também menciona algo parecido em Daniel 11:32, quando diz que “o povo que conhece ao seu Deus se esforçará e fará proezas.” Por diversas vezes, Deus incita o seu povo a “se esforçar e ter bom ânimo”. Todavia, apesar de todas palavras e exemplos que temos na Bíblia, há uma parcela que acaba desenvolvendo uma postura preguiçosa. Estas pessoas não agem, ficam parados esperando uma intervenção divina em todos os aspectos da vida. Importante lembrar do que Salomão escreveu lá em Provérbios 13:4 – a alma do preguiçoso deseja, e coisa nenhuma alcança, mas a alma dos diligentes se farta.

Não me entenda mal, nós temos sim que depender de Deus para nos guiar e estabelecer os nossos caminhos, porém isso não é justificativa para omissão e preguiça. Sempre dizem algo como “não fiz nada porque estou esperando em Deus” ou “não agi porque não senti confirmação divina”. Ficam olhando para o alto esperando um sinal de Deus até para atravessar a rua. Temos que nos lembrar do que está escrito em Eclesiastes 11:4: “Quem observa o vento, nunca semeará, e o que olha para as nuvens nunca segará.” Aquele que fica apenas esperando, nunca será capaz de cumprir a vontade de Deus. Destacando novamente a passagem de Daniel mencionada acima, ele diz que “o povo que conhece a Deus se esforça”. Quem conhece (e prossegue conhecendo) a Deus, mesmo sem um sinal sobrenatural, aprende que cabe a nós agir.

B) Santarrão

Como cristãos, devemos seguir os passos e o exemplo de Cristo. Ele disse que devemos buscar a santidade, porque Ele é santo (I Pedro 1:16). O comportamento da pessoa que busca a Deus passa por mudanças no decorrer do convívio e da influência divina na sua vida. O que ocorre em alguns casos é que a pessoa acaba colocando os dogmas e puritanismo em primeira instância, dando mais importância à postura/aparência austera e sisuda do que seguir a palavra de Deus.

Santidade não tem nada a ver com a roupa que você usa ou a sua aparência, tanto que em Mateus 23:27, Jesus chama os religiosos de “sepulcros caiados, que por fora parecem formosos, mas estão cheios de morte e imundícia”. Buscar a santidade te torna mais como Cristo, com mais compaixão, maior capacidade de perdoar e a disposição de levar a salvação às pessoas. O “santarrão” é acusador, só vê o erro dos outros e se acha mais “espiritual” porque não se mistura com o mundo. Muitas vezes, esse é aquele que usa o terno na igreja mas bate na esposa em casa. É aquela que diz que a outra é Jezabel por usar esmalte, mas espalha fofoca na igreja inteira. São as pessoas que Jesus critica em Lucas 6:41 – “E por que atentas tu no argueiro que está no olho de teu irmão, e não reparas na trave que está no teu próprio olho?”.

Esta é a geração que é mencionada em Provérbios 30:12, que “é pura aos seus próprios olhos, mas que nunca foi lavada da sua imundícia.” Apesar de tudo que mencionei acima, a pior característica deste perfil é a que é mencionada em Mateus 23:13 – “Fechais aos homens o reino dos céus; e nem vós entrais nem deixais entrar aos que estão entrando”. Muitas igrejas tem rejeitado pessoas por não se encaixarem em um padrão “religioso”, negando a salvação e a mensagem de Cristo. Que Deus gere em nós um coração puro, um espírito reto e uma vida em busca da santidade, quer estejamos de terno ou de bermuda, quer tenhamos cabelos compridos ou curtos.

C) Mimado

Ser mimado é um dos problemas que mais tem crescido na sociedade. Crianças pidonas, que mandam em seus lares e que não sabem ouvir não como resposta. É a geração que é mencionada em Provérbios 30:15 – “A sanguessuga tem duas filhas: Dá e Dá”. Apenas vêem o seu próprio umbigo e buscam os seus próprios objetivos. “O que Deus pode fazer por mim?” é a frase preferida deste tipo de pessoa. Enxerga Deus como alguém que existe para “realizar os seus sonhos” como um gênio da lâmpada, mais uma pessoa que ela pode controlar com suas birras e charmes.

Outra característica desse perfil é a mania de querer chantagear a Deus. São os partidários das “orações” de “se você não me abençoar, eu saio da igreja”, “se Deus não fizer como eu orei, vou abandonar a fé”. Não tem noção de que Deus não depende de nós, não sabem o seu devido lugar. São as pessoas que não sabem aceitar as dificuldades da vida e que não acham justo quando tem que passar por alguma situação difícil. Temos que ter em mente que neste mundo passaremos por dificuldades (João 16:33) e que isso também é algo bom aos olhos de Deus. Paulo escreve em Filipenses 4:14 – “Todavia fizestes bem em tomar parte na minha aflição.”

A pessoa que entende e busca a Deus de coração não abre mão dEle em ocasião alguma. Quando Nabucodonozor decidiu lançar Sadraque, Mesaque e Abdnego no fogo por não terem adorado a estátua que ele criou, eles não ficaram reclamando ou fazendo “bico”, dizendo que Deus tinha os abandonado. A resposta deles ao questionamento do rei está em Daniel 3:17-18 – “O nosso Deus, a quem servimos, pode nos livrar. Ele nos livrará do fogo e da tua mão, ó rei. E, se não, fique sabendo que não serviremos a teus deuses nem adoraremos à estátua que levantaste.” Com ou sem a benção, o livramento, o cumprimento da promessa, saúde, dinheiro, etc, seguimos em frente, sem abandonar a fé e buscando sempre estar cada vez mais próximo a Deus, como está escrito em Habacuque 3:17-18 – “Ainda que a figueira não floresça, nem há fruto na vide; o produto da oliveira mente e os campos não produzam mantimentos; as ovelhas foram arrebatadas do aprisco e nos currais não há gado, todavia, eu me alegro no Senhor, exulto no Deus da minha salvação.”

D) Despreparado

Como mencionei no texto “Simplificando o milagre“, muitos cristãos tem sido ensinados a enxergar a Deus como apenas um de solucionador de problemas e que transforma a vida em um mar de rosas. A mensagem que muitas igrejas tem pregado é extremamente superficial e usada apenas para atrair novos membros. Evita-se falar de assuntos “polêmicos” pois isso pode fazer com que as pessoas deixem a igreja – infelizmente, algumas igrejas estão mais preocupadas com o número de membros e suas contribuições financeiras do que com a salvação e a edificação da alma.

O cristão despreparado é aquele que, mesmo não sendo mimado, não consegue lidar nem com as dificuldades e adversidades, nem com as bênçãos e melhorias de vida. Não sabe deixar o seu coração no local correto (Mateus 6:21) e acaba sendo abalado pelos ventos da vida (Efésios 4:14). São as pessoas que acabam criando um sincretismo de valores e crenças para guiar o seu modo de vida, tentando se esquivar das responsabilidades que são inerentes à vida cristã. Não conseguem depender totalmente de Cristo e, por isso, não conseguem ter uma vida íntegra, completamente nas mãos de Deus.

Paulo foi uma pessoa preparada – conhecia a lei, depois que conheceu a Cristo ficou três anos em “treinamento” e depois foi fazer a obra. Ele escreveu em Filipenses 4:11-12: “Não digo isto como por necessidade, porque já aprendi a contentar-me com o que tenho. Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade.” E no versículo 13, ele encerra dizendo o motivo da sua postura: “Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece”. Em tudo na vida é importante ter preparo e, para o cristão, preparar-se é conhecer a Deus, seguir o exemplo de Cristo e não olhar pra trás, sempre seguindo em frente, porém com diligência e firmeza, sem desviar, vacilar ou titubear.
—–

A minha oração é que Deus nos torne pessoas capazes de seguir a Cristo de uma forma sincera e simples, sem rótulos, sem justificativas e sem jogos de aparências. Que quando Deus olhar em nossa direção, vejam pessoas que não se escondem atrás de doutrina, egoísmo, preguiça ou inexperiências, mas sim pessoas de cabeça erguida, com o coração disposto a ir até o fim na nossa caminhada de fé.


1 Comment so far
Leave a comment

[…] o texto ‘Fugindo do foco‘ com a seguinte frase: “O objetivo do cristianismo é a unidade e não a uniformidade, […]

Pingback by 06/09/2012 – Personalidade e Presença « Semeando Esperança




Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s



%d bloggers like this: