Semeando Esperança


20/07/2010 – Justificados e livres
20/07/2010, 1:08 am
Filed under: Semanal

O tema parece bastante específico, mas acredite, trata-se de algo que permeia todos os nossos dias. Existe, é fato, uma perseguição contra os que buscam a Deus, seja no âmbito espiritual ou no natural – mesmo que seja velada ou disfarçada por brincadeiras. Desde o início dos tempos, o povo de Deus tem sido perseguido, em algumas ocasiões com muito mais intensidade e clareza do que nos dias de hoje. Essa reflexão também se refere a perseguição e acusação que recebemos de fora, seja das pessoas que nos cercam ou proveniente do inimigo de nossas almas – mas o que quero destacar como principal acusação é aquela que fazemos contra nós mesmos.

Antes de retomar o tópico, apenas para situarmos a reflexão na palavra, em Romanos 8 tanto a acusação quanto a condenação são citadas. No mesmo molde que a justiça humana, primeiro se é acusado e depois condenado – pelo menos é assim que está na lei. Em Romanos 8:1, Paulo escreve que “nenhuma condenação há para os que estão em Cristo.” Quando assumimos nossa posição junto a Cristo, não somos condenados porque Jesus não pode ser condenado – como também Paulo escreveu em Gálatas 2:20, ao aceitarmos a Cristo, não vivo mais nós, mas Cristo vive em nosso lugar. Em relação a condenação, por se tratar do passo final, há a completa convicção de que, ao seguir os passos de Jesus, não seremos condenados.

Agora o que realmente pesa na vida das pessoas é a acusação. Quando somos acusados, há um processo de justificação. Assim como vemos na justiça humana, há a análise da acusação, em algumas ocasiões julgamento e, por fim, o veredito que pode ser de libertação ou condenação. O problema principal disso tudo? O tempo perdido entre a acusação e a justificação. Vemos em Romanos 8:33 – “Quem acusará os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica.” Sendo assim, mesmo que haja acusação, somos justificado por Deus – nenhuma acusação subsiste e somos instantaneamente justificados por Deus. Mas no coração humano, muitas vezes por nos acharmos indignos ou por vergonha, não nos vemos como dignos de sermos justificados e perdemos muito tempo nesse processo.

Como disse no primeiro parágrafo, a pior acusação é a que fazemos contra nós mesmos. Quando a acusação vem de fora, muitas vezes temos que buscar a justificação publicamente, nos forçando a resolver com brevidade. Quando a acusação é feita por nós mesmos, podemos ficar muito tempo sem resolver por não aceitarmos o fato de que Deus já nos justificou. Se pararmos pra pensar, quantas vezes nos privamos de desfrutar a presença de Deus por nos acharmos acusados de algo que pensamos ou fizemos? Quantas vezes deixamos de falar de Jesus para alguém porque ao olharmos para nós mesmos, nos acusamos por alguma postura ou atitude? Será que já chegamos ao ponto de acreditarmos que não merecemos felicidade porque continuamos a nos acusar? Começamos a pensar que as promessas que Deus nos fez foram anuladas pelos nossos erros e pelas acusações que fazemos contra nós mesmos?

O que Deus quer que façamos hoje é que lembremos quais as acusações ou até condenações que fizemos contra nós mesmos e possamos ver tudo que estamos deixando de viver e fazer por esse motivo. E, com a convicção do que está escrito na palavra de Deus, possamos fazer como está escrito em Isaías 43:18, “não vos lembreis das coisas passadas nem considereis as antigas”. Somos justificados por Deus para fazer isso e viver uma vida completa e plena.


Leave a Comment so far
Leave a comment



Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s



%d bloggers like this: