Semeando Esperança


07/04/2010 – Preparo e Vontade
07/04/2010, 8:09 pm
Filed under: Semanal

De um tempo pra cá, tenho visto em muitas igrejas e em muitas músicas frases que destacam a importância de conhecer a Deus, Seus sonhos, Seus planos, Seus desígnios e por aí vai. Não querendo me perder nos detalhes ou no significado dos termos específicos, aproveitei a deixa desse tópico para tentar falar algo sobre o que precede toda essa fase de compreensão. A fase de preparo.

Os planos de Deus excedem a capacidade de compreensão humana – Deus possui o conhecimento de todos os passos e decisões de nossas vidas, tudo isto está entrelaçado em um plano minucioso e secreto na mente de Deus. Na Bíblia, nos dois versículos abaixo, fica claro que não cabe ao homem conhecer os planos de Deus:
I Co 2:9 – O que os ouvidos não ouviram, olhos não viram e o que não veio ao coração do homem são os planos de Deus.
Is 55:8-9 – Os caminhos de Deus são mais altos que os nossos caminhos, os planos de Deus são mais altos que os nossos.

Há, todavia, um traço disso tudo que cabe a nós conhecer – a vontade. Em I Ts 5:14-22 estão listados diversos itens que correspondem à vontade de Deus. Mas o interessante é que a Bíblia nos instrue a entender e experimentar essa vontade. Em Ef 5:17 – entendei qual a vontade de Deus – e em Rm 12:2 – experimentar a vondade de Deus. Para deixar claro de que nada adianta saber o que está escrito e não agir conforme. É necessário conhecer e agir.

Em Mt 6:6 está escrito que para falar com Deus, devemos entrarmos em nosso quarto e fechar a porta. Isto evidencia que para que haja o desenvolvimento de um relacionamento e a compreensão da vontade de Deus, haja um momento de preparo. Um momento em que na maioria das vezes não há compreensão – apenas um processo pelo qual todos devem passar para que cheguemos ao estado em que teremos a capacidade de agirmos conforme a vontade de Deus. Um processo que traz a maturidade. Em II Tm 2:14-21 está escrito mais ou menos uma etapa desse processo, comparando-o com a elaboração de um vaso, preparado para cumprir seu propósito designado pelo criador. O intuito principal dessa mensagem é a de encorajar a todos que estão passando por tal situação.

A Bíblia nos lista uma grande quantidade de pessoas que passaram por esses momentos, muitas das quais estão listadas no rol dos heróis da fé lá de Hb 11. Separei 6 deles para esta mensagem: Daniel (Dn 1-12), Elias (I Rs 17 – II Rs 2), Noé (Gn 6:13 – Gn 10), Gideão (Jz 6-8), Moisés (Ex 2-3) e Paulo (At 9:1-18). Tendo como base estes exemplos, pode-se destacar três principais características do momento de preparo. São elas:

01) O preparo é definido para servir o propósito dos escolhidos

O processo de preparo de cada pessoa exige uma série de fatores que são estabelecidadas com o único propósito de nos deixar prontos para realizar o que fomos criados para fazer. Moisés precisou ficar no deserto para amadurecer e se desligar dos seus laços com o Egito. Paulo precisou ficar na casa de Judas pois estava cego e precisava de um tempo para que a sua mudança fosse reconhecida. Daniel precisou ficar na cova para mostrar que a sua fé era a correta. Elias ficou na caverna para aprender sobre o controle total de Deus. Noé ficou na arca para que toda a terra fosse remodelada. Gideão ficou no lagar para que fosse criado nele o espírito de um homem que conhecia sua posição. E o processo que cada um deles passou foi essencial para se tornarem grandes homens, não apenas nas igrejas ou nos ministérios, mas grandes homens para todo o mundo.

02) Há um local e tempo determinado para o preparo

Daniel teve a cova dos leões; Elias, a caverna; Noé, a arca; Gideão, o lagar; Moisés, o deserto; Paulo, a casa de Judas.
Poderia falar também de José na prisão, Jonas no ventre do peixe e de muitos outros que tiveram também um período em que houve a necessidade de isolamento e um processo de preparo. Para cada um deles, esse período teve uma duração diferente – uma noite, três dias, quarenta dias, vários anos. Uma questão importante a se destacar é que esse processo é individual e, em quase todos os casos, exige um grau de isolamento, mesmo que não seja físico. Os momentos nos quais estamos sós, estamos mais suscetíveis a ouvir a voz de Deus e, consequentemente, desenvolver um relacionamento com Ele.

03) Há um término para o processo

Do ponto de vista da pessoa que está vivendo o processo, há a percepção de que a espera é muito longa. Muitas vezes há também o aparecimento da ansiedade, dúvidas, desânimo. Mas o fato é que para todo esse preparo há um final. Claro que o final do processo apenas significa, de fato, o verdadeiro início da nossa vida – o começo do momento em que começamos cumprir o nosso desígnio. Nesse término geralmente há um marco ou fator para comprovar a nossa ‘formatura’. Para Daniel, chegou o Rei; para Elias, a voz mansa; para Noé, o pássaro; para Gideão, o anjo; para Moisés, a sarça; para Paulo, Ananias. Mesmo que eles já estivessem prontos antes de serem de fato incumbidos de agir, Deus age de modo a marcar o início dessa nova fase. Tudo que Deus prepara em segredo, Ele traz à tona para que seja mostrado claramente. Por isso, a necessidade de “coroar” o término do processo.

(Acho importante destacar que quando digo “cumprir nosso desígnio” não estou querendo entrar em discussão sobre destino ou outros tópicos não concretos. O tal desígnio pode ser se tornar um profissional melhor, ser uma pessoa mais compreensiva ou até aprender a fazer uma comida gostosa para agradar os amigos. Identificar o seu propósito é algo que cabe a cada um fazer, em parceria com Deus.)

Quando se possui um relacionamento com alguém, compreender as vontades da pessoa se torna algo simples. Mesmo o silêncio da pessoa já te diz aquilo que ela quer. Basta um olhar, uma mudança na postura ou a diferença no tom de voz para se identificar a mensagem a ser passada. E assim também acontece no relacionamento com Deus – no começo, ficamos preocupado e queremos ouvir ou receber confirmações sobre o que fazer e como agir. Mas, aos poucos, ao começarmos a entender a vontade dEle, há em Deus a expectativa de que não fiquemos parados, esperando – lembrando de Moisés que foi ajoelhar para orar e Deus respondeu: “Por que você tá aí parado falando comigo? Você sabe o que tem que fazer, manda o povo marchar. Mexa-se!” Assim como nossos pais não esperam ter que mandar um marmanjo de 20 e tantos anos arrumar o quarto ou tomar banho, Deus não quer que alguém que O conheça fique esperando confirmação de tudo que se deve fazer.

Para encerrar, deixo o versículo escrito em I Ts 5:24 – Fiel é o que o chama, o qual também fará. Portanto, para os que estão nas suas fases de preparo, que este versículo sirva de confirmação e incentivo a se manterem firmes para chegar ao fim desejado.


2 Comments so far
Leave a comment

[…] a carreira 03/08/2010, 2:10 am Filed under: Semanal Em dois dos textos anteriores (‘Preparo e Vontade‘ e ‘A intenção do primeiro passo‘), havia mencionado sobre a existência de uma […]

Pingback by 03/08/2010 – Completar a carreira « Semeando Esperança

[…] texto “Preparo e Vontade“, destaco que há um local em que Deus nos prepara para cumprir o plano dEle. Uma […]

Pingback by 15/08/2012 – Caminhar e Perseverar « Semeando Esperança




Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s



%d bloggers like this: